images

“O foco foi uma das coisas determinantes para eu ser campeão”

O último domingo (30) vai ficar na memória do piloto Hebert Pereira como um dia perfeito. Afinal, não é sempre que um piloto levanta a taça duas vezes no mesmo dia: campeão da Copa Yamaha R3 e tricampeão na GRP 250, na final do campeonato Super Bike Gaúcho, realizado no Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul. Talento, dedicação e garra, o jovem piloto desponta no cenário esportivo, e sonha em pilotar na categoria 600 cilindradas.

A dupla vitória de Hebert Pereira sinaliza para uma carreira promissora, calcada na determinação, garra e dedicação do jovem piloto. Para Hebert, a conquista de dois títulos em dois anos é “incrível”, conforme suas próprias palavras.

–  Este ano houve muitas mudanças, para melhor. Estava com a “cabeça no lugar”, pensando sempre no campeonato, não nas etapas. Esse foi um grande diferencial, e o resultado veio. Claro, tive muita ajuda dos amigos, da minha equipe e, dos meus patrocinadores -sem os quais nada disso teria sido possível. Já levei muito tombo por ser afobado na minha carreira e na minha vida, o que me levou a perder um campeonato brasileiro.

A emoção de pilotar uma moto a uma velocidade que pode chegar a atingir 300 quilômetros por hora exige muito do piloto. Hebert tentou passar um pouco do que vivenciou nas pistas nesse domingo, quando qualquer deslize pode significar a perda do título.

– As últimas três voltas da corrida, na Copa Yamaha R3, foram um grande sufoco. A pressão foi grande, pois o piloto não pode cometer erros, nenhum. As curvas têm que ser desenhadas de forma precisa, porque ali está a decisão de um campeonato. E tudo deu certo, quando consegui cruzar a bandeirada, e ser campeão, a alegria foi enorme.

 

Desafios de um campeonato

Manter a constância é o maior desafio de um campeonato, segundo Hebert. Manter um bom desempenho em todas as provas é essencial.

– A última prova foi emocionante, e exigiu muita concentração. Enfrentamos um problema mecânico, que foi solucionado com a ajuda de todos, inclusive de outras equipes. Isso foi gratificante. O maior desafio, como em todas as provas, é manter-se constante na forma de pilotar, concentrar-se, ter foco. Não cair. E mais, tentar seguir o regulamento, ao máximo. Quando um título está em jogo, tudo isso é mais intenso.