images

Para os motoristas mais antenados, não é novidade que o Gás Natural Veicular (GNV) é um combustível mais barato que a gasolina e o etanol, mas uma pesquisa realizada pela Comgás mostrou que a economia no abastecimento pode compensar o custo de conversão do carro para o gás em apenas quatro meses. 

Esse é o tempo de retorno médio do investimento na instalação do equipamento de gás para motoristas que percorrem 8 mil quilômetros por mês, como taxistas.

Já para quem percorre mil quilômetros por mês, como é o caso de pessoas que usam o carro para uso particular, o prazo de retorno é de 30 meses, ou dois anos e meio.

Para chegar ao resultado da pesquisa, a Comgás utilizou os dados de um rali promovido pela Associação de Rádio Taxis de São Paulo (Artasp). No teste, três carros, modelo Renault Duster, percorreram um trajeto igual, de 102 quilômetros, que incluiu situações reais de trânsito na cidade e na estrada, apenas modificando o tipo de combustível: etanol, gasolina e GNV.

O rali mostrou que ao abastecer o carro com o GNV, a economia é de 61,1% em relação à gasolina, e de 59% em relação ao etanol.

Enquanto o carro movido a GNV apresentou uma média de 22 centavos por quilômetro rodado, o abastecido com etanol registrou média de 53 centavos e o com gasolina, de 56 centavos por quilômetro.

A partir desses resultados, a Comgás chegou ao prazo médio para que a economia com o GNV compense o investimento no kit gás – equipamento que permite que o carro seja abastecido com o GNV – para diferentes quilometragens.

Foi considerado um custo de 4 mil reais do kit gás (custo médio do equipamento de quinta geração, segundo a Comgás) e os seguintes preços médios de combustíveis: 2,89 reais por litro de gasolina, 1,89 real por litro de etanol e 1,72 real por metro cúbico de GNV – preços médios nacionais, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Veja no gráfico a seguir o resultado do levantamento: